Deputado Nininho cobra regularização nos repasses da saúde


Todas as dificuldades que temos enfrentado precisa de atenção, mas quando se trata de saúde, medidas devem ser tomadas com celeridade, advertiu Nininho.

Na sessão matutina desta quarta-feira (08), o deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD)- Nininho falou da sua indignação com relação à situação da saúde pública no estado. Durante discurso, o parlamentar destacou a decisão da Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis em cancelar os atendimentos na UTI Pediátrica devido à falta de repasses do Poder Executivo. Vale lembrar que a UTI fecha as portas após 26 meses de inauguração.

Para o deputado, é inadmissível deixar a saúde chegar a essa situação. “Rondonópolis é um município-polo, responsável pelo atendimento de 19 municípios da região sudeste de Mato Grosso”. Com relação à paralisação da UTI Neo-natal, Nininho disse estar constrangido. “Foi uma luta a conquista dos atendimentos e a instalação da UTI neonatal para Rondonópolis. Conseguimos o recurso por meio de valores apreendidos pela justiça, e agora, depois de pouco mais de um ano de inauguração as portas se fecham por falta de repasses, não podemos e não vamos aceitar essa situação”, ressaltou Nininho.

De acordo com o deputado, que faz parte da base do governo, a saúde está mergulhada em caos. “Eu sou parceiro do governo, mas tenho cobrado diariamente uma solução eficaz para a saúde. Pessoas estão morrendo por falta de atendimento e isso, não posso simplesmente assistir”, lamentou o deputado.

Durante sua fala, o parlamentar cobrou a presença do secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares, para dar explicações sobre a pasta, pois o período de planejamento já expirou. “Quero pedir o apoio de todos os deputados, para cobrarmos agilidade. Nós sabemos da competência do secretário de Saúde, porém, não podemos ficar parados na questão de levantamentos de dados, é preciso agir, e rápido”, ratificou Nininho.

Nininho também criticou a situação do VLT e a Greve do Detran-MT

Além da saúde pública, o parlamentar chamou a atenção dos deputados para uma solução da conclusão das obras da Copa do Mundo, especialmente o VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos). “Essas obras da Copa, quando assumimos este governo tinham que ter sido resolvidas. Não podíamos ter ficado com VLT que custa R$ 15, 16 milhões, parado sem ter tomado uma decisão efetiva”, disse o deputado estadual.

O deputado ainda alertou que o projeto do VLT é preciso sair da discussão para ação, e que existem muitos entraves. “Para as coisas acontecerem é preciso agilidade. Precisamos parar de olhar só para a gestão do governo passado, e começar a olhar para frente”.

Nininho afirmou que é da base do Governo, “defendo essa gestão desde o primeiro dia de mandato, não aceito mais esse discurso de culpar os governos anteriores. Nós tivemos três anos para tomar as atitudes e fazer as mudanças que deveriam ser feitas nesse Estado”, ratificou.

Sobre a greve dos servidores do Departamento de Trânsito Estadual de Mato Grosso (Detran-MT), que já completou dois meses, o deputado defendeu o projeto de terceirizar o departamento para atender as demandas. Nininho citou o modelo utilizado em Santa Catarina, “nós não vamos e não queremos prejudicar os servidores do Detran, porque, a terceirização dos serviços é uma medida que vai auxiliar os trabalhos dos servidores, e essa, é a única saída que temos”.

Deixe uma Resposta